Páginas

sábado, 15 de novembro de 2008

REFORMA ORTOGRÁFICA





Com data marcada para entrar em vigor em 2009, a reforma ortográfica pretende fazer com que pouco mais de 210 milhões de pessoas em oito países que falam o português tenham a escrita unificada, conservando as variadas pronúncias. A proposta foi apresentada em 1990, mas era necessário que pelo três países ratificassem os termos da proposta, o que ocorreu somente em 2006. O Congresso brasileiro aprovou as mudanças em 1995. Entenda a história da reforma.



1. Quais as diferenças básicas da ortografia usada no Brasil e em Portugal?
Existem duas ortografias oficiais da língua portuguesa: a do Brasil e de Portugal. A norma portuguesa é a que serve de referência para o ensino de português em outros países. O vocabulário português contém palavras escritas com consoantes mudas, como Egipto e objecto. Em outras, como indemnizar e facto, as consoantes "a mais" são pronunciadas. Além disso, nas sílabas tônicas seguidas de m e n, o som é aberto. Por exemplo, a palavra econômico (escrita brasileira) é escrita e lida económico em Portugal.



2. Quantos e quais países falam português?
A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) é composta por oito países: Brasil, Portugal, Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe e Timor Leste.


3. A unificação pode trazer benefícios para a economia dos países que falam português?
Uma vez unificado, o português auxiliará a inserção dos países que falam a língua na comunidade das nações desenvolvidas, pois algumas publicações deixam de circular internacionalmente porque dependem de "versão". Um dos principais problemas que as novas regras vão acarretar, no entanto, será o custo da reimpressão de livros.


4. Por que é preciso padronizar o português?
O português, segundo estudos, é a quinta língua mais falada no mundo – cerca de 210 milhões de pessoas – e tem duas grafias oficiais, o que dificulta o estabelecimento da língua como um dos idiomas oficiais da Organização das Nações Unidas (ONU) . A ortografia-padrão facilitará o intercâmbio cultural entre os países que falam português. Livros, inclusive os científicos, e materiais didáticos poderão circular livremente entre os países, sem necessidade de revisão, como já acontece em países que falam espanhol. Além disso, haverá padronização do ensino de português ao redor do mundo.


5. O que é necessário para que ocorram mudanças na língua portuguesa?
É preciso que o projeto com as novas regras seja aprovado pelos oitos países da CPLP e que pelo menos três deles ratifiquem as mudanças em seu território. Assim que as novas regras forem incorporadas ao idioma, inicia-se o período de transição, no qual os materiais didáticos serão adequados às mudanças.


6. Quais foram as reformas na língua portuguesa anteriormente?
Já foram feitos três acordos oficiais, aprovados pelos países falantes: o de 1943, o de 1971 e o que vai vigorar a partir de 2009.


7. O que elas mudaram de essencial na ortografia?
A mudança mais importante antes da aprovada em 1990 (e que vai vigorar a partir de 2009) foi a de 1971. Nesse acordo foi estipulada a eliminação do trema nos hiatos átonos, bem como a do acento circunflexo diferencial nas letras "e" e "o" da sílaba tônica das palavras homógrafas, de significados diferentes, mas com a mesma grafia, além da extinção do acento circunflexo e do grave em palavras terminadas com "mente" e "z". Com a reforma, êle passou a ser escrito ele, sómente, somente e bebêzinho, bebezinho.


8. O acordo para unificação foi proposto em 1990. Por que só foi aprovado agora?
A principal causa da demora é a relutância de alguns países, como Portugal, em ratificar o acordo. Até julho de 2004, era preciso que todos os países membros da CPLP ratificassem as novas normas. Um acordo feito nessa data estabeleceu que bastaria a ratificação por parte de três países. Em 1995, o Brasil efetivou sua ratificação, seguido de Cabo Verde, em fevereiro de 2006, e São Tomé e Príncipe, em dezembro. Portugal ainda precisa adaptar sua legislação às novas regras. Enquanto as mudanças afetarão 0,45% das palavras brasileiras, Portugal sofrerá alterações em 1,6% de seu vocabulário. Os portugueses deixarão, por exemplo, de escrever húmido e escreverão úmido, como os brasileiros.


9. As mudanças serão apenas gráficas ou vão alterar a pronúncia?
As mudanças serão apenas na ortografia, permanecem as pronúncias típicas de cada país.

Como funciona a reforma
ORTOGRÁFICA DO PORTUGUÊS



Em 1990, representantes dos oito países que falam português (Portugal, Brasil, Angola, Moçambique, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, Cabo Verde e Timor Leste) decidiram simplificar a grafia e unificar as regras. A implementação, no entanto, é lenta. É preciso que os países ratifiquem as mudanças como fez o Congresso Nacional brasileiro. Em 2007, o Ministério da Educação do Brasil começou a preparar as mudanças nos livros didáticos e pretende que elas estejam totalmente implantadas em 2009. As maiores resistências à reforma vieram de Portugal, justamente o país que deve ter mudanças mais significativas. Os portugueses só ratificaram o acordo em maior de 2008.
As tentativas de unificação ortográfica dos países lusófonos são antigas, datando do início do século 20. No Brasil, já houve duas reformas ortográficas em 1943 e 1971, ou seja, um brasileiro com mais de 65 anos vai passar por três reformas. Em Portugal, a última reforma aconteceu em 1945. E muitas diferenças entre Brasil e Portugal continuaram.

Há muita gente que rechaça a unificação, dizendo que há coisas mais importantes a fazer. Quem defende argumenta que o português é, das línguas mais faladas no mundo, a única que ainda não está unificada.
Veja quais as principais mudanças na ortografia. A maioria terá impacto no Brasil:

Fim do trema

O acento é totalmente eliminado. Assim, a palavra freqüente passa a ser escrita frequente.

Eliminação de acentos em ditongos

Acaba-se o acento nos ditongos “ei” paroxítonas. Assim, idéia vira ideia.

O acento circunflexo quando dois “os” ficam juntos
também some. Assim, vôo vira voo.


Cai o acento diferencial

Aquele acento que diferenciava palavras homônimas de significados diferentes acaba. Assim, pára do verbo parar vai ficar apenas para.


Mudanças nos hífens

Sai a maioria dos hifens em palavras compostas. Assim pára-quedas vira paraquedas.

Quanto houver necessidade, será dobrada a consoante. Assim contra-regra vira contrarregra.

Será mantido o hífen em palavras compostas cuja segunda palavra começa com h como pré-história.
Em substantivos compostos cuja última letra da primeira palavra e a primeira letra da palavra são a mesma, será feita a introdução do hífen. Assim microondas vira micro-ondas.

Inclusão de letras

As letras antes suprimidas do alfabeto português (k, y e w) voltam, mas só valem para manter as grafias de palavras estrangeiras;

Fim das letras mudas

Em Portugal, é comum a grafia de letras que não são pronunciadas como facto para falar fato. Essas letras somem com a reforma.

Dupla acentuação

Há algumas diferenças de acentuação entre o Brasil e Portugal principalmente quando se fala do acento circunflexo e agudo. Assim, os brasileiros escrevem econômico e os portugueses, económico. Essa diferença foi mantida.

22 comentários:

Anônimo disse...

que blz achar essa reforma ortográfica bem esclarecida, me ajudou muito...Obrigada, seu blog é demais....
Me add no seu msn ou e-mai para nos comunicarmos, sou professora de 5º ano e moro na cidade de Coromandel _MG. Abraços vc está de parabéns....flaviabcruz@yahoo.com.br msne orkut:flavia_koro@hotmail.com

Anônimo disse...

achei muito legal esta materia sobre o acordo ortografico


parabens

Anônimo disse...

Parabéns !!! Adorei seu blog, muito lindo e cheio de ajudas e toques interessantes. Boa sorte em tudo na sua vida, fique com Deus.
Beijo grande

Anônimo disse...

amei achar este site,nunca vi um site tão completo.PARABENS!!!!

Anônimo disse...

amei encontrar este site,tem tudo que uma professora precisa.PARABENS!!!!

Anônimo disse...

Parabens seo blog eh muitoO interssanteE.....

Anônimo disse...

Adoreiiiiiiiii

achei tudo que eu quero...

Anônimo disse...

achei legal pois encontrei o que eu prescisava saber

Anônimo disse...

seu blog é simplismente completo!
encontrei tudo que eu precisava.
que bom poder contar com pessoas como vc para melhorar a educaçao deste país. parabens!!!

PATY disse...

PARABÉNS!!!!!! MUITO BONITO SEU TRABALHO...
PATRÍCIA - IMPERATRIZ - MA

FRANCISCO MAYCON disse...

[BLUE][I][U]
QUE LEGAL
A GENTE APRENDEU MUITAS COISA DESSA ATIVIDADE.

MUITOOO. BOMMM MSM

VALEU .

gyselly disse...

seu blog esta otimooo... Parabenss!!!!!!!!

Ana Afonso disse...

Muito didático o texto e de fácil compreensão, porém ainda estou achando o acordo de difícil assimilação. Como nosso escrever ficou feio!

gleids hovadick disse...

Desejo saúde paz harmonia e que a luz de Deus esteja brilhando em você para que possa difundir ideias tão boas e úteis.

Matheus disse...

Parabéns!!!
Muito legal e útil!!!
Fico feliz por existir pessoas como vc.

Anônimo disse...

É sempre bom ampliar nossos conhecimentos em relação às novas mudanças ortográficas.
valeuuuuuuuuuuuuu

Anônimo disse...

ótimo.Legal a iniciativa !!!

Anônimo disse...

EU ADOREI AS EXPLICACOES QUE NFICARAM DE MODO BEM CLARO ANIVEL DE COMPREENSAO DOS ALUNOS.

Anônimo disse...

VOCE ESTA DE PARABENS ,POIS SETA SENDO DE GRANDE AJUDA NA MINHA PRATICA PEDAGOGICA.

Anônimo disse...

Achei interessante só que faltou algumas atividade de fixação para aplicarmos com alunos.

EDNA ALVES disse...

ÓTIMO SEU TRABALHO!PARABÉNS. VAI ME AJUDAR BASATANTE!

leda disse...

Seu trabalho não tem limmites.Teu esforço em colaborar com os educadoes é grande. Mesmo professoraws que estão quase se aposentando têm muito que aprender, reciclar e retomar.
Obrigada pelas idéias e informações.
Leda

Postar um comentário

Não tenho palavras para agradecer os comentários carinhosos. Esta valorização que dão ao meu trabalho, eleva a minha autoestima e me dá forças para continuar. Muito Obrigada!!!